Notícias

Boas Práticas de uso e limpeza de Centrífugas

A centrifugação é um processo usado para separar ou concentrar materiais suspensos em uma solução. A base teórica dessa técnica é o efeito da gravidade sobre as partículas (incluindo macromoléculas) em suspensão. Partículas de massas diferentes irão sedimentar em ritmos diferentes em resposta à gravidade. A força centrífuga, medida como “g” (gravidade) ou RCF (do inglês Relative Centrifugal Force), é usada para aumentar esta taxa e é aplicada em um instrumento chamado centrífuga.

As centrífugas são amplamente utilizadas em laboratórios clínicos para a separação de componentes. Em laboratórios que realizam análises bioquímicas em fluidos corporais, é rotineiramente usada para separar células sanguíneas do plasma, separar sedimentos da urina, medir a fração volumétrica dos eritrócitos no sangue e até mesmo em processos de extração de DNA. Diversas etapas de exames dependem da ação da centrífuga.

Existem diversos tipos de centrífugas, rotores e tubos especializados para realizar a centrifugação. Você deve escolher o equipamento de acordo com a força motriz, rotor e necessidades adequadas para o procedimento que deseja realizar. Essas diferenças determinam a velocidade máxima da centrifugação, o controle de temperatura, a capacidade de tubos e o volume máximo de liquido por tubo. O primeiro passo para a exatidão do resultado é a escolha do melhor modelo que atenda a necessidade do seu laboratório.

Por ser um equipamento muito importante, além de você saber como manuseá-lo corretamente, a limpeza do equipamento é um fator de extrema relevância para que sua análise tenha um resultado de qualidade.

 

Limpando uma Centrífuga

 

Assista o vídeo:

 

Itens necessários:

  • Água
  • Detergente Neutro
  • Pano úmido
  • Pano seco
  • Luvas

 

Parte externa do equipamento:

Mergulhe um pano macio na água com detergente, e com a centrífuga fechada, limpe toda a área externa do equipamento, incluindo o painel. Certifique-se que o equipamento esteja desligado da rede elétrica.

Com um pano seco, enxugue o excesso da água. O equipamento deve ficar completamente seco após a limpeza.

* Nunca utilize produtos químicos voláteis como: álcool, benzeno, etc. Ou esponja e qualquer outro tipo de material áspero.

 

Parte interna do equipamento:

Para a limpeza na parte interna da centrífuga, lembre-se de retirar, conforme instrução de cada modelo, o rotor e a câmara de centrifugação. Ao limpar o interior da centrífuga tome cuidado para não molhar o motor. Com um pano seco, enxugue o excesso da água.

Não esqueça da tampa, a força da centrifugação pode provocar vazamento de material de amostra.

 

Câmara de Centrifugação e Rotor:

Fora da centrífuga, lave com água, sabão e um pano macio, a câmara de centrifugação. Com um pano seco, enxugue o excesso da água.

Retire os adaptadores do rotor e lave-o com água, sabão e um pano macio. Enxugue o excesso da água com um pano seco. Não esqueça de lavar muito bem os adaptadores do rotor.

Para melhor qualidade e precisão nos resultados de seus exames laboratoriais, a limpeza da centrífuga deve ocorrer sempre após o uso do equipamento. Para a sua segurança, antes de limpar o equipamento, certificar-se de que o mesmo não esteja ligado.

 

Boas Práticas na Centrifugação

Para o processo de centrifugação seja preciso é necessária que algumas condições de centrifugação sejam realizadas de modo a conseguir uma sequência de trabalho que economize tempo, e uma qualidade ideal do resultado sem influenciar o processo de análise. Seguindo os passos abaixo, o risco de erros e falhas torna-se reduzido no processo de centrifugação.

 

Local de instalação:

A superfície de trabalho da centrífuga deverá ser uma bancada firme, plana e antiderrapante para nunca permitir que a centrífuga saia do lugar.

 

Instalação Adequada do Rotor:

O rotor de uma centrífuga mal colocado pode causar erros no processo. O rotor deve ser cuidadosamente encaixado com o pino do motor. Aperte firmemente o parafuso utilizando a chave Allen (fornecida).

Lembre-se de verificar se o rotor está firmemente ajustado antes do início da rotina do laboratório.

 

Balanceamento da centrífuga:

A centrífuga deve sempre estar equilibrada. Assim, para cada tubo deve ser colocado outro tubo do lado oposto com o mesmo peso, balanceando a centrífuga.

Esse processo deve ser feito para todo o rotor e toda centrífuga, incluindo microcentrífugas e rotações de baixa velocidade.

Vale lembrar que nem sempre um tubo com o mesmo volume terá o mesmo peso, isso dependerá da densidade amostra. Em alguns casos, como na ultracentrífuga será necessário pesar os tubos individualmente.

 

Término do Ciclo:

As principais consequências de erros são a centrifugação incompleta. Nunca interrompa o ciclo da centrifugação, e jamais utilize as mãos como freio. Aguarde até que a centrífuga pare completamente antes de retirar os tubos.

 

Conheça as Centrífugas Kasvi: