fbpx

Notícias

Centrífugas: quais tipos existem e para que servem no laboratório?

Centrífugas são equipamentos frequentemente encontrados e muito utilizados em laboratórios de análises, pesquisa, biotecnologia, indústrias e instituições de ensino para separar diferentes fases de uma amostra de maneira muito eficiente. O princípio é simples e mecânico, os materiais mais densos são separados dos materiais menos densos através da força centrífuga, diferenciando as partículas com densidades diferentes.

Geralmente se utiliza a técnica da centrifugação para separar partículas biológicas em suspensão. O motor do equipamento possui alta velocidade de rotação e faz com que os materiais com densidades diferentes se separem. A centrifugação é especificada pela aceleração aplicada à amostra, medida em rotações por minuto (RPM) ou força g.

Assim, após a centrifugação, a amostra tende a se separar em fases, o sobrenadante que fica na parte superior e o composto com maior densidade no fundo do tubo. Podemos usar como exemplo uma amostra de sangue (células vermelhas em suspensão no plasma), após ser submetido à centrifugação esses dois componentes se separam restando o plasma (líquido de cor amarelada) na parte superior e as células vermelhas na parte inferior do tubo.

Após centrifugação, plasma e células vermelhas se separam em fases. Imagem: Shutterstock

TIPOS DE CENTRIFUGAÇÃO

Centrifugação Analítica

A centrifugação analítica analisa as propriedades físicas de partículas que sedimentam na centrifugação (ex: peso molecular, coeficiente de sedimentação) por meio de um sistema óptico para observar o processo enquanto ele ocorre.

Centrifugação Preparativa

Consiste em isolar partículas específicas de uma solução para utilizá-las posteriormente em algum procedimento. Pode ser dividia em centrifugação diferencial e gradiente de densidade.

Centrifugação Diferencial

Baseia-se na sedimentação de partículas de acordo com seu tamanho e densidade. Por meio da centrifugação de uma amostra biológica, por exemplo, são obtidas duas fases: o precipitado (também chamado pellet), no qual estarão as partículas maiores e mais densas, e a fração que não precipitou (chamada sobrenadante), que contém as partículas menores e menos densas. O sobrenadante pode ser centrifugado posteriormente aumentando a velocidade e/ou o tempo de centrifugação. Esse processo pode ser repetido várias vezes com o objetivo de isolar partículas cada vez menores da amostra.

Centrifugação por Gradiente de Densidade

Esse tipo de centrifugação é útil para a purificação de partículas, como organelas ou macromoléculas, sendo classificada em dois tipos: zonal (tamanho – separa partículas que possuem densidades similares e massas diferentes) e isopícnica (densidade – separa partículas de tamanho similar, mas densidades diferentes).

MODELOS DE CENTRÍFUGAS

Existem diferentes modelos de centrífugas para atender a necessidades e procedimentos diferentes. Algumas são pequenas e de fácil adaptação à bancada e outras maiores e robustas. São muitas as variações que vão desde a velocidade até a capacidade de cada uma, que podem realizar a centrifugação a temperaturas negativas, comportar microtubostubos e até microplacas.

Alguns componentes são muito importantes e devem ser observados com atenção, como ruído, velocidade, vibração, segurança e capacidade, pois irão determinar a escolha certa da centrífuga para cada tipo de laboratório e rotina.

Conheça a linha de centrífugas da Kasvi

Centrífuga Refrigerada 44×1,5ml

EProjetada para uso em laboratórios de pesquisa e institutos para separar as amostras biológicas como suspensões de células, macromoléculas como DNA, RNA, proteínas e outras soluções bioquímicas suspensas.

Centrífuga 8x15mL

Equipamento moderno, de porte médio, fácil e prático de manusear, possui sistema de rotor de ângulo fixo, motor sem escovas e display em LED.

Centrífuga 8×15

Centrífuga de Bancada 4000rpm

É um equipamento de porte médio, prático, estável, fácil de manusear, além de apresentar nível de ruído extremamente baixo. Com rotores intercambiáveis de diversos tamanhos, proporciona vários tipos de aplicações em um único equipamento.

 

Centrífuga de bancada 5000 rpm

Equipamento de médio porte, com design robusto e apresenta nível de ruído extremamente baixo. Amplamente utilizadas em Laboratórios de Análises Clínicas para rotinas médias. Uso em diagnóstico in vitro.

Centrífuga de bancada 5000rpm

Microcentrífuga 12×1,5mL

Nível de ruído extremamente baixo, display em LCD, com tecnologia de guia de fluxo que minimiza o calor durante a centrifugação e protege as amostras.

Microcentrífuga 12×1,5ml

Minicentrífuga

Projetada para rápida centrifugação, acompanha rotor para 6 microtubos de 1,5/2,0mL e rotor para 16 microtubos de PCR 0,2mL individuais ou em tiras.

Minicentrífuga

Centrífuga para micro hematócrito 12000 rpm

Equipamento de pequeno porte, prático, leve, de fácil manuseio e nível de ruído extremamente baixo. Amplamente utilizadas em laboratórios de análises clínicas e centros de doação de sangue para determinação do hematócrito.

Centrífuga para micro hematócrito 12000 rpm

Centrífuga PRP/PRF 8×15

Amplamente utilizada em técnicas de obtenção de plasma rico em plaquetas (PRP) e fibrina rica em plaquetas (PRF).

Centrífuga PRP/PRF 8×15

Microcentrífuga para Microplacas de PCR

Comporta duas placas de PCR, leve e estável, com design robusto e de fácil manuseio, o que a torna amplamente utilizada em laboratórios de biologia molecular.

Minicentrífuga

Referência
BRUNO., and Alessandra Nejar. Biotecnologia I: Princípios e Métodos – Série Tekne. ArtMed, 2014.