Notícias

Meios Cromogênicos Desidratados: Metodologia que Avança nos Laboratórios Clínicos

Na última década houve um crescimento considerável no uso dos meios de cultura cromogênicos nos laboratórios clínicos e indústrias. A praticidade, especificidade e rapidez nos resultados quando comparados aos meios de cultura tradicionais, está fazendo com que os laboratórios, cada vez mais, migrem para essa singular metodologia.

O método de coloração de Gram faz parte da técnica de identificação de microrganismos quando se fala de meio de cultura tradicional. É considerado um dos métodos mais utilizados dentro dos laboratórios de análises clínicas e microbiologia, pois identifica a morfologia das bactérias ou estabelece se há número significativo de bactérias nas amostras clínicas.

 

Método da Coloração de Gram

O método de coloração de Gram recebeu esse nome em homenagem ao patologista dinamarquês Hans Christian Joachim Gram que realizou a descoberta em 1884. É um passo muito importante na caracterização e classificação inicial das bactérias. Esse método de coloração permite que as bactérias sejam visualizadas no microscópio óptico, uma vez que sem a coloração é impossível observá-las ou identificar sua estrutura.  Através da coloração é possível identificar e diferenciar os dois principais grupos de bactérias, gram-positivas e gram-negativas

 

Diferença entre bactéria Gram-positiva e Gram-negativa

Há diferentes graus de permeabilidade na parede dos microrganismos Gram-positivos e Gram-negativos.

As bactérias Gram-positivas retêm o cristal violeta devido à presença de uma espessa camada de peptidoglicano (polímero constituído por açúcares e aminoácidos que originam uma espécie de malha na região exterior à membrana celular das bactérias) em suas paredes celulares, apresentando-se na cor roxa.

Já as bactérias Gram-negativas possuem uma parede de peptidoglicano mais fina e não retém o cristal violeta durante o processo de descoloração e recebem a cor vermelha no processo de coloração final.

 

Princípio da coloração de Gram

O procedimento de coloração de Gram permite que as bactérias retenham a cor com base nas diferenças nas propriedades químicas e físicas da parede celular. O uso dos corantes permite aumentar o contraste e evidenciar a estrutura bacteriana.

A coloração envolve 3 etapas principais:

  • Coloração com violeta de cristal (um corante solúvel em água, roxo);
  • A descoloração (utilizando etanol / acetona);
  • A contra-coloração (utilizando corante Safranina, vermelho).

 

Coloração de Gram – O que é bactéria Gram-positiva e Gram-negativa?

 

A técnica de coloração de Gram geralmente respeita um protocolo de ações que a padroniza. Contudo, há variantes nesse procedimento relacionadas aos tempos de execução da coloração e à utilização de lavagem com água em dadas etapas que podem interferir na visualização das estruturas coradas. Além de ser necessária a prática de testes complementares para a confirmação definitiva do patógeno.

 

Meios Cromogênicos

Os meios cromogênicos foram desenvolvidos para oferecer métodos mais rápidos e precisos para a detecção de patógenos com alta especificidade de forma mais simples e eficiente. Seu princípio está relacionado à utilização de substratos cromogênicos (reação de cor) característicos para cada patógeno, que são liberados após a hidrólise. Isto é especialmente importante em casos de cultura polimicrobianas. O grande diferencial para esse tipo de cultura é a possibilidade da inclusão de agentes seletivos que impedem o crescimento e interferência de microrganismos não-alvo. A maioria dos meios cromogênicos é, portanto, seletiva e diferencial. Cada organismo é então identificado através de uma cor específica, determinando facilmente as colônias.

O resultado é exato e distinto. O cultivo pode ser observado e distinguível a olho nu por sua diferenciação baseado em cores. Além de permitir a detecção mais rápida de microrganismos específicos em relação aos meios de cultura tradicionais, têm maior sensibilidade e ainda podem reduzir a necessidade de outros testes complementares, exigidos nos meios de cultura tradicionais, como subculturas e confirmação, encurtando o prazo na identificação dos patógenos. Por isso os resultados são mais rápidos ajudando na prevenção da disseminação de infecções.

 

Método de identificação baseado em cores, mais simples e prático.
Interpretação visual do resultado.
Vários microrganismos identificados com um único meio.
Menor tempo, se comparado com os meios tradicionais.
Menor tempo, se comparado com os meios tradicionais.
Aumento da eficiência dos seus testes de laboratório.

 

 

Vantagens Meios Cromogênicos

Os meios de cultura cromogênicos desidratados são invariavelmente mais caros que os meios das metodologias convencionais. Porém, é compensado pela reduzida necessidade de reagentes complementares e do menor tempo associado ao processamento de placas de cultura e patógenos pesquisados empregados nas técnicas tradicionais. Economizando-se tempo e trabalho, há um aumento na eficiência dos testes do laboratório. Devido a esses fatores, o uso de meios cromogênicos em laboratórios de diagnóstico está cada vez mais presente.

A linha de meios cromogênicos Kasvi inclui produtos para o uso nos mais variados setores: clínico, indústria farmacêutica, cosmética, laticínios e alimentícias. Possibilita o isolamento de Salmonella spp., E. coli, L. monocytogenes, Candida spp, dos principais causadores de infecções do trato urinário (ITU) e detecção de cepas multirresistentes além do uso geral.

 

Produtos em Destaque:

 

 


Referência

  • Ministério da Saúde. Técnica de Coloração de GRAM
  • The application of chromogenic media in clinical microbiology – J.D. Perry e A.M. Freydie`re – Journal of Applied Microbiology ISSN 1364-5072 – 2007
  • A Decade of Development of Chromogenic Culture Media for Clinical Microbiology in an Era of Molecular Diagnostics – John D. Perry – Clinical Microbiology Reviews – 2007