fbpx

Notícias

HPV – O câncer de colo de útero e a importância do exame Papanicolau

O que é o HPV?

HPV é a sigla em inglês para Papilomavírus Humano (Human Papiloma Virus). Estima-se que 600 milhões de pessoas estejam infectadas pelo HPV e que 75% a 80% da população adquirem um ou mais tipos em algum momento da vida, sendo a doença sexualmente transmissível mais comum no mundo todo. Tanto homens quanto mulheres podem ser infectados e desenvolver doenças relacionadas ao vírus.

Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV, sendo que aproximadamente 40 deles podem infectar o trato anogenital. Alguns são considerados oncogênicos e podem desenvolver o câncer, são chamados de alto risco. Outros são responsáveis por causar verrugas genitais, chamados de baixo risco.

Na maioria dos casos, o HPV não apresenta sintomas. Ele pode permanecer no organismo durante anos sem qualquer manifestação e esta é uma grande preocupação, uma vez que pode evoluir silenciosamente, provocando o câncer.

Já o tipo que causa verrugas genitais (anus, pênis e vulva), podem levar semanas ou meses após o contato sexual com uma pessoa infectada para apresentar algum sintoma. Uma pessoa que tenha o HPV, mesmo que não apresente sintomas, pode transmitir o vírus ao seu parceiro, sendo que a infecção por um tipo não exclui outro. Assim, pode manifestar uma coinfecção (apresentando dois ou mais tipos de HPV ao mesmo tempo).

A relação entre HPV e o câncer de colo de útero

O HPV está envolvido em aproximadamente 100% dos casos de câncer do colo do útero, com percentual menor em outros locais: 85% dos casos de câncer de anus, 40% de vulva, 70% de vagina, 50% de pênis, 35% de orofaringe, 10% de laringe e 23% de boca.

Embora tanto homens quanto mulheres possam ser infectados pelo HPV, o risco é maior principalmente às mulheres, causando 530.000 casos de câncer de colo uterino e 275.000 mortes pela doença por ano.

Pelo menos 12 tipos de HPV são considerados oncogênicos, apresentando maior risco ou probabilidade de provocar infecções persistentes e estar associados a lesões precursoras (que antecedem o aparecimento da doença). Dentre os HPV de alto risco, os tipos 16 e 18 estão presentes em 70% dos casos de câncer do colo de útero.

Cerca de metade de todas as mulheres diagnosticadas com câncer do colo de útero tem entre 35 e 55 anos de idade. Muitas provavelmente foram expostas ao HPV na adolescência ou na faixa dos 20 anos de idade.

Diagnóstico de HPV e exames realizados

As verrugas genitais podem ser diagnosticadas pelos exames urológico (pênis), ginecológico (vulva) e dermatológico (pele). Já o diagnóstico das lesões precursoras do câncer do colo de útero é realizado através do exame preventivo Papanicolau.

Como as lesões precursoras antecedem o diagnóstico de câncer, identificá-las no estágio inicial é muito importante, por isso o papel fundamental do exame preventivo.

O exame Papanicolau é feito para identificar alterações nas células do colo do útero. Encontrar essas mudanças e tratá-las irá reduzir muito as chances de desenvolver câncer cervical. Vale ressaltar que o exame não é feito para detectar o câncer do colo do útero, mas detectar lesões pré-cancerosas. Quando células anormais são identificadas o médico pode tomar medidas para descobrir a causa dessas alterações e tratar a doença antes que evolua para um câncer.

Colo do Útero
Colo do Útero

Evolução do câncer de colo do útero. (1) Útero normal (2 e 3) lesões precursoras (4) câncer.  

O exame Papanicolau

No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que o exame colpocitopatológico deve ser realizado em mulheres de 25 a 60 anos de idade, ou que já tivessem tido atividade sexual mesmo antes desta faixa de idade, uma vez por ano e, após 2 exames anuais consecutivos negativos, a cada 3 anos. 

No rastreamento através do exame Papanicolau uma amostra células cervicais é coletada com auxílio de uma espátula ou uma pequena escova. Essas células são então fixadas em uma lâmina que posteriormente será analisada em um microscópio por profissionais capacitados.

Entenda como é realizado passo-a-passo o exame Papanicolau (Exame Ginecológico: conceito, importância e método).

A amostra deve ser coletada de maneira adequada e levada com segurança ao laboratório, processada e interpretada corretamente. Caso seja detectada qualquer alteração, a paciente será encaminhada para receber o tratamento adequado.

O Papanicolau ajuda a detectar células anormais no revestimento do colo do útero, que podem ser tratadas antes de se tornarem câncer. Quando as lesões são detectadas precocemente é possível prevenir 100% dos casos de câncer.

Materiais para realizar o exame Papanicolau

A KASVI comercializa diversos materiais utilizados na coleta do exame preventivo. confira:


Referências