Notícias

Agar Mueller Hinton – Você conhece seu uso e aplicação?

O Agar Mueller Hinton (MH) é um meio de cultura utilizado para realizar Testes de Sensibilidade aos Antimicrobianos (TSA). Esse teste também é conhecido como Antibiograma, difusão em disco ou ainda teste de suscetibilidade Kirby-Bauer. A finalidade do método consiste em testar se a bactéria em análise é sensível a determinados antibióticos.

O teste de difusão em disco foi descrito em 1966 por Kirby e Bauer, por isso o nome da metodologia, sendo uma das mais simples e confiável utilizada pelos laboratórios de microbiologia para a determinação da sensibilidade a antibacterianos. O Agar Mueller Hinton é o meio padrão recomendado pela OMS para essa finalidade, sendo seu princípio básico a propagação do antimicrobiano na superfície do agar, a partir de um disco de papel.

Nos últimos tempos a utilização indiscriminada de antibióticos tem provocado a resistência bacteriana aos medicamentos. Essa resistência se expande com muito mais agilidade que o desenvolvimento de novos antibióticos. Com o resultado do teste de sensibilidade o médico saberá se a bactéria testada é sensível ou resistente ao medicamento, ajudando-o na escolha correta da droga e na dosagem ideal, determinando quais são mais eficientes no tratamento do paciente. Esse processo direcionado também ajuda a diminuir a frequência de bactérias resistentes aos medicamentos.

Meios de cultura na identificação de microrganismos patogênicos

 

Método do Antibiograma por difusão

O primeiro passo é isolar a bactéria a partir da amostra do paciente. É preparado o meio Mueller Hinton que fornece as condições necessárias para o crescimento do microrganismo. A bactéria deve ser uniformemente espalhada pela placa de Petri que contém o meio de cultura.

Discos de papel são preparados e impregnados com uma concentração padrão de um determinado antibiótico, para verificar a resistência em relação a cada um deles, então são uniformemente distribuídos e levemente pressionados sobre a superfície do agar.

O antibiótico teste começa a difundir para fora a partir dos pequenos discos, criando um gradiente de concentração do antibiótico no agar.

Após uma incubação de um dia para o outro, o crescimento bacteriano em volta de cada disco é observado. A área clara que rodeia o disco (halo) revela o local na qual as bactérias não conseguem se desenvolver. Quanto maior o halo, maior a sensibilidade da bactéria ao antibiótico.

 

Como os microrganismos se desenvolvem em um Meio de Cultura?

 

A área em volta de um disco antibiótico que não tem crescimento é chamada de zona de inibição. Esta zona é medida em milímetros (mm) e comparada a um gráfico de interpretação padrão usado para categorizar a amostra como sensível, intermediária ou resistente. Se a zona de inibição observada é maior ou igual ao tamanho da zona padrão, o microrganismo é considerado sensível ao antibiótico. Por outro lado, se a zona de inibição observada é menor, o microrganismo é considerado resistente.

antibiograma

Difusão de disco em Agar Mueller Hinton

A concentração inibitória mínima (CIM) é a concentração mais baixa de fármaco que inibe o crescimento da bactéria. Assim, existe uma relação entre a zona de inibição e a CIM, sendo as medidas inversamente proporcionais, ou seja, quanto maior a área e menor a CIM, melhor é a potencialização do antibiótico.

 

 

Qual a diferença entre Agar Mueller Hinton I e Agar Mueller Hinton II?

Não existe diferença entre os testes de suscetibilidade Kirby-Bauer realizados com o Agar Mueller Hinton I (MH-I) e Agar Mueller Hinton II (MH-2), são meios recomendados pela Clinical and Laboratory Standard Institute (CLSI) para a metodologia. Ambos têm os mesmos componentes, porém a padronização entre eles é que muda.

No caso do MH-I devido à metodologia de produção, os componentes não são padronizados e os teores de timidina/timina e Cálcio/Magnésio podem variar. Assim é preciso realizar um controle de qualidade mais rigoroso para cada lote antes do uso para teste de antibiograma, por isso seu custo é inferior.

Já para o MH-II os constituintes são padronizados, sendo fabricados para conter baixos níveis de timina e timidina, com níveis controlados de íons de cálcio e magnésio, as concentrações são mais adequadas e conhecidas entre os diferentes lotes. Dessa forma a técnica fica menos suscetível a influência destes agentes, conferindo uma qualidade maior ao teste.

Composição do Agar Mueller Hinton

O ácido hidrolisado de caseína e extrato de carne fornecem aminoácidos, nitrogênio, minerais, vitaminas, carbono e outros nutrientes que suportam o crescimento de microrganismos. O amido atua como substância protetora contra moléculas tóxicas que podem estar presentes no meio. A hidrólise do amido durante a autoclavagem fornece uma pequena quantidade de glicose, a qual é uma fonte de energia. E o agar é o agente de solidificação.

>> Leia também: Meios de Cultura – Como diferenciar meio enriquecido, seletivo e diferencial


Referência: ANVISA